25
dez
10

Dá para voltar a confiar? Como voltar a confiar depois de uma traição?

Como voltar a confiar depois de uma traição?


Recomeçar é sempre um caminho difícil, exige esforço, coragem e, na maioria das vezes, muita força. Quando acontece o término de uma relação normalmente vem junto um sentimento de exaustão emocional, cansaço após uma partida perdida. Muitos não se imaginam refazendo todo o processo de estar solteiro, conhecer alguém novo, se tornar íntimo, construir. Tudo isso se torna ainda mais difícil quando o término ocorreu em razão de uma traição já que a frustração e a dor podem ser bem maiores.

Todo final nos convida a um tempo de elaboração e reflexão, um tempo importante e necessário de recolhimento a fim de se entrar em contato com sentimentos, reavaliá-los e reorganizá-los.

A traição, quase sempre, balança profundamente as estruturas daquele que apostava na relação. Apesar de muitas vezes ser anunciada ela é sempre uma horrível surpresa e ninguém nunca, jamais, espera-se passar por isso. Aquele que foi traído sofre com a perda do que há de mais importante na relação, a confiança, correndo ainda um enorme risco de sofrer a perda da confiança em si mesmo, no seu potencial, no seu valor.

Questões que ficam após o fim de uma relação são, como confiar em um novo amor, como ter coragem suficiente para apostar numa nova relação? Como voltar, acima de tudo, a confiar em si mesmo? E a acreditar que essa história não precisa se repetir no namoro seguinte?

Antes de mais nada, é importante ter em mente que cada relação é uma e sendo assim terão caminhos próprios. Parece algo simples, mas para aquele sofreu é uma das ações mais difíceis, pois muitas vezes há uma tendência natural a pensar que tudo se repetirá. Geralmente, aquele que pensa assim sofreu um abalo tão profundo que passa a desconfiar não apenas do outro mas de sua própria capacidade em ser feliz e ter alguém legal ao seu lado.

Um outro passo é buscar entender o que pode ter levado a essa situação. Nenhuma justificativa torna correta uma traição, mas ainda assim ela tem um sentido dentro daquela relação e podem ser os mais variados. Quando escrevi lá em cima que algumas vezes ela pode ser anunciada as razões podem ser imaturidade, desgaste da relação, dificuldade de comunicação ou até um chamado de atenção. Buscar compreender minimamente o que aconteceu ajuda a lidar melhor com o desafio de superar. Não reduz a dor, não diminui o que se sente, mas oferece uma certa clareza para compreender o que aconteceu.

O fundamental é considerar que a culpa pela traição não é de quem a sofreu, e que foi uma escolha do outro seguir por esse caminho. Nada tem a ver com se ter errado, não ter sido bom companheiro o suficiente, não ter correspondido às expectativas, não ser bonito, legal ou interessante. Foi o outro que por não saber lidar com suas próprias questões, conflitos e dificuldades optou por trair acreditando que essa poderia ser uma solução, uma fuga. Nunca é e nunca será. Até encontramos casais que apesar da traição conseguem se refazer, superar a crise e seguir adiante, acontece com casais que desejam firmemente estar juntos e buscam juntos lidar com a dor assim como encarar as dificuldades. Já outros não conseguem se refazer, mas usam essa situação para rever a relação e reavaliar se realmente desejam estar juntos, enquanto outros perdem para sempre o companheiro. De toda a forma é uma escolha muito arriscada já que se fere profundamente quem está ao lado enquanto existiriam outras formas de admitir os conflitos na relação e tentar arrumá-los ou ao contrário, chegar ao fim, mas sem um trauma tão grande.

Por mais desafiador ou difícil que seja é importante apostar na próxima relação, acreditar que o outro está ao seu lado porque te ama, admira, valoriza e deseja construir algo bom, caso contrário porque estaria com você? Sempre digo o quanto é importante um tempo de recolhimento ao fim de uma relação, justamente para não arrastar seus conflitos para dentro de uma nova construção. Se conseguir se oferecer esse tempo, avaliar que a culpa não foi sua pela escolha errada do anterior e que o atual companheiro está com você por escolha e desejo próprios, será mais fácil voltar a confiar no outro e no seu direito de ter um saudável e novo amor.

Fechando com algumas palavras de Clarice Lispector “Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente.” (em Aprendendo a viver). Apesar da dor sentida , se deve apostar na alegria que uma nova relação pode lhe trazer!

[De acordo com Frederick Lane, advogado especialista em privacidade eletrônica citado pelo Freep.com, cerca de 45% dos divórcios nos EUA envolvem incidentes com e-mail, Facebook e outras ferramentas online.]

E o que você acha?



0 Responses to “Dá para voltar a confiar? Como voltar a confiar depois de uma traição?”



  1. Deixe um comentário

Deixe seu relatório investigativo, ou mande beijo; dê seu palpite, ou bronca. Mas fale sério comigo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Ponto de Encontro:

Leitores do Blog:

  • 4,635,124 Visitantes

Visitantes Online

visitor stats

Seguir Fastlove:

Siga-me no Facebook

Dona do Blog:

Quem sou eu?
Aspiro com o dia em que não incomodarei as pessoas com minha sinceridade. No dia em que as pessoas não terão medo e nem vergonha de expor sua essência – dizer o que realmente pensam e querem. O fim da hipocrisia, do sujeito oblíquo. Com calma caminho em busca de um futuro melhor, e não espero por coisas fáceis. Sou chata, brega, amiga, leal, fiel, prestativa, distraída, esquecida, impulsiva, falante, extravagante, extrovertida, medrosa, extremamente ansiosa, normalmente curiosa e tolerante, as vezes envergonhada. Mensageira da esperança, da palavra amiga. Admiro quem anda sozinho, mas não consigo. Fico feliz quando vejo um sorriso, quando o sonho se torna realidade mesmo q não seja meu. Satisfeita ao ver um casal de velhinhos em um restaurante, de mãos dadas. Choro quando assisto TV, quando sofro decepção, quando decepciono alguém e por saber que o mal está solto. Mas tranquila e muito feliz por saber que acima de tudo Deus existe, que é Amor, Justo, Fiel, Onipotente e Onipresente. Não tenho a família de meus sonhos, porém tenho força de vontade para criar uma, todos os passos são cuidadosamente analizados e percebo hoje que estou em uma posição muito a frente dos meus sonhos mais simples. Com a Graça de Deus Celestial. E com a certeza que Deus nunca me abandonou! Com a benção Dele, sinto que realizarei e viverei mais que sonhos. Desejo ver meus filhos crescer e que sejam felizes, ter mais filhos e adotar quando possível. Quero uma família grande, unida e repleta de paz e amor. Desejo que as pessoas conheçam a Paz, o Amor e o Poder que somente nosso Deus tem e pode nos dar. Desejo uma casa, no quintal: animais e um pé de jambo. Bem longe do Rio de Janeiro. Mas Deus sabe o que é melhor para mim. Afinal, sou mais que uma vencedora! Fui escolhida em uma corrida de milhões, fui vitoriosa e gerada. Gerei filhos saudáveis e lindos, perfeitos aos olhos de Deus, aos meus olhos... e verdadeiros Presentes Divinos em minha vida.

Twitter

Calendário do Blog

dezembro 2010
D S T Q Q S S
« maio   jan »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Buscar Arquivos do Blog

Casos Arquivados

Categorias do blog

Member of The Internet Defense League

RSS Frases Pensador


%d blogueiros gostam disto: